Destempero

Decido levantar.

Não há possibilidade para o sono.

Da janela, posso ver o céu repleto de estrelas e penso em você.

Penso em nós.

Dos passos e descompassos.

Das nossas escolhas, ausências, silêncios, tormentos.

Um dia, eu quis voltar no tempo;

Quando tudo era propício, no início.

Mas, sempre foi assim: descompromisso.

Vida a empurrar a alegria com a barriga cheia de vento, inventos, palavras e desejos jogados no tempo.

E eu queria me alertar desse desconforto.

Voltar para um minuto antes de tudo ter sido, a fim de evitar o teu olhar e corpo quentes naquela noite estrelada.

Enquanto a madrugada avança, uma luz cruza o trânsito das minhas lembranças.

Me escondo em vão da tua ausência-presença.

Agora,

Já não faço questão de esconder de mim o desconcerto;

Enquanto os segundos da exposição e flash congelam a memória da vivência, ora recriada.

Penso: Talvez as estrelas um dia façam chover a esperança.

Texto: Yve de Oliveira

Foto: Gustavo Luy

Anúncios