É tarde!

É tarde amor, vem deitar!

O nosso tempo jaz rápido demais!

Ao longe escuto teus últimos sussurros gritando:

Mais,

ais,

is,

i…

e

Já não dá mais!

É tarde!

A luz apagou,

Meu olho cerrou,

Teu corpo se desconectou dos meus sentidos

Sem desequilíbrios.

Nossa alma carece de mais

Paz.

Ah, não se apraz!

Desfaz,

Os murmúrios,

As insatisfações,

As amarras das nossas solidões.

Não tenha medo dos uivos e dos trovões.

Vai!

Mas,

Antes, deita aqui,

Já é tarde!

Um último abraço.

Já é tarde!

Eu sei…

Já é tarde,

É tarde

Demais!

Texto e fotografia: Yve de Oliveira

 

 

Anúncios