Até quando Facebook?

Desativei o face!

Voltei para organizar a casa!

Visitei amigos, posts, compartilhamentos.

Li memórias, intrigas, confusão, descaso.

Vi amor, alegrias, sofrimento, angústia, abandono.

Falta de bom senso, horror, terror, retrocesso.

Vi. Li. Anotei. Postei Paulo Freire.

Abandonei a necessidade de utilizar dos mesmos critérios para me manifestar para o sim ou para o não.

Sou imensidão.

Ilimitada.

Sensível.

Amiga de poucos.

Talvez seja isso:

Venho descobrindo quem são, quem sou e o que é ser verdadeiramente um amigo.

Texto: Yve de Oliveira

 

 

Anúncios